Sunday, April 16, 2006

Vulcão


Corpo sem mistério,
sem centímetro desconhecido,
sem milímetro palmilhado.

Conheço de co e salteado esse corpo másculo
que se oferece ao meu desejo.
Corpo amante, corpo amado e de instintos insaciáveis.
Fonte de amor,
vulcão de volúpia
que eletrifica os nervos.

Centelha de paixão a derramar-se em lava pelos poros,
queimando os caprichos,
incandescendo meu corpo
transformando-o em chama ardente.

Desfazendo-se em sêmen,
amando sob efervescida água,
sob ilusória lama.


Vânia Moraes

Sunday, April 09, 2006

Sem Jogo



Olho.
Olho mesmo!
Olho descaradamente.

Instigo e penetro fundo,
imobilizo suas funções
por alguns segundos.

Sem sutileza alguma te chamo.

Nos meus olhos pulsa paixão,
tesão ardente!

Quero sentir sua mão na minha coxa.
Sua língua patinando meu pescoço
em chamas.

(...)

Gosto.
Gosto muito!
Gosto mais que nunca.

Puxo teu cabelo,
mordo seu ombro,
lanho suas costas...

Incrível como arrepio,
apertando sua bunda!

Olho!
Gosto!
Repito!

Repito cada gesto pelo menos umas três vezes,
só pra não perder nada...


Bárbara Jovanholi.

Saturday, April 01, 2006

Ofïcio do Verso l

VM - Beije minha boca úmida...

Essa era a ordem do carrasco sedutor faminto de minha carne.
E eu, vítima do instante em concordata, disse:

Sim, porque também busco saciar esta sede de você, esta fome...Alimento vivo para os meus ensejos.

LF - Porque a alma torpe também ordena esta entrega, como tantas outras entregas feitas...Já dançamos a música dos sonhos...Já compusemos a melodia do desejo.
Entreguemo-nos pois, á vontade da carne...

VM - carne exposta em tua cama...Carne que pulsa a cada pensamento, sentindo o porvir de todas delícias vivas de tuas mãos.

LF - Te espero,te vejo em meus braços...O beijo...O primeiro beijo que se estende da boca a nuca...Da nuca ao ventre...Sinta o peso de minha ânsia em ti.

VM – Não, não me espera...Vem me buscar, me caça...Arranca de mim essa fera que te fareja e não te acha.Quero me banhar na saliva quente,quero a língua saliente a descobrir minha geografia,montes e reentrâncias...Avança.

LF - Na língua, já sinto teu gosto forte, gosto de fêmea...Brinco com teu corpo que é meu domínio...Aventuro-me nele, minhas mãos percorrem-no.Junto as mãos... a boca, a língua; enquanto uma deslumbra-se em teus seios, a outra transporta-se aos teus pés.
Antevejo o prazer...Minhas mãos e minha boca recebem mesmo com a cortina vermelha, o calor de tuas entranhas...A umidade do teu corpo...Bafejo sexo...viajo-te em língua.

VM - Sou estrada sinuosa a conduzir tantas sensações, sou fonte jorrando para q me bebas, para q percebas a minha submissão, sou poros em arrepios não importa o polo em q estejas, e, se nos
pés que são "escaneados" como fotos, beijados, lambidos como manjares servidos aos deuses...Faço-me banquete, e se em voz alta dizes : devoro-os...Faço de todo o resto tua sobremesa.

Vânia Moraes e Luís Felipe
em 31/03/06
E se eu tiver que ficar nu, hei de envolver-me em pura poesia, e dela farei minha casa, minha asa...loucura de cada dia - Vander Lee

Free JavaScripts provided
by The JavaScript Source